20 Projetos Lean

É uma forma de organizar seus negócios para que toda a perda nos processos seja eliminada ou pelo menos fortemente reduzida.

Projeto Lean significa enxugar os erros e os desperdícios existentes na execução dos processos.

Em Lean, perda é tudo aquilo em um processo que não agrega valor. Por exemplo:

  • O tempo que um documento está na mesa de alguém aguardando alguma ação,
  • Estoque acumulado que não será usado no curto prazo,
  • Produto terminado aguardando liberação de saída.

Se você fizer uma avaliação de qualquer processo, na maioria das organizações, verá que a maior parte do tempo não se está agregando valor na atividade. Frequentemente você verá que os tempos de espera são muito maiores do que os tempos nos quais alguém realmente está executando o próximo passo naquele processo.

Existem dois cuidados principais que devem ser tomados ao transformar sua organização, ou parte dela em Lean:

  1. A iniciativa deve estar ligada às necessidades de seu negócio. Implementar Lean só porque está na moda não trará benefícios reais. Se você não consegue fazer uma forte associação entre os possíveis ganhos obtidos com Lean e sua estratégia de negócio, provavelmente deveria esperar mais. Enfim, se você não visualiza ou suspeita que há ocorrência de desperdícios no seu processo, não há ambiente para um projeto Lean.
  2. O Lean se popularizou inicialmente na área de manufatura, já que o conceito foi desenvolvido pela Toyota, no Sistema Toyota de Produção. No entanto, é errado pensar que esta iniciativa pode ficar restrita somente à produção, já que neste caso os ganhos ficarão muito restritos. Lean deve ser aplicado em toda a organização, inclusive nos processos desenvolvidos no escritório – também chamados processos de serviços.

Para a implementação do Lean, é necessária uma mudança de cultura na organização. Não basta chegar com uma nova série de regras e achar que automaticamente a organização se tornará enxuta. Esta mudança na forma de pensar da equipe é certamente o maior desafio na execução desta iniciativa.

Ao estudar os processos para reduzir suas perdas, é importante que os responsáveis “vivam” o processo, acompanhando o fluxo real e vendo em que ponto está se perdendo valor. Muitas vezes o processo parece ótimo no papel, mas ao ser executado existem perdas que não estavam previstas, como o tempo gasto pelo funcionário em encontrar uma informação, um documento aguardando ser enviado por fax, ou itens que ficam esquecidos por falta de organização

Conceito essencial do Lean:

“Entregar ao cliente o que ele quer, quando ele quer e com mínimo de desperdício”

Os 5 princípios do Lean: 

  1. Valor: O Valor do Produto é aquele definido pelo cliente, e não pela própria organização. A definição de Valor passa, portanto por uma avaliação acurada junto ao mercado, para entender quais as necessidades efetivas a serem atendidas pelo Produto.
  2. Fluxo de Valor: Definição, na Cadeia de Valor, de quais os processos que atuam diretamente na geração do Valor definido anteriormente, quais outros processos são importantes para a manutenção daqueles processos e da qualidade, e quais os processos ou atividades de processos que não agregam valor de nenhum tipo, e que devem ser eliminados.
  3. Fluxo Contínuo: Esta é a mudança mais dramática do ponto de vista cultural da organização, pois implica em passar da mentalidade departamental para a mentalidade de fluidez total dos processos, passando de área, para área de responsabilidade de modo integrado e contínuo, sem interrupções. Este princípio é vital para Lean, e é o que confere agilidade, flexibilidade, redução de ciclo produtivo, redução de custos, e outros benefícios. Demanda uma liderança efetiva e sólida, e um gerenciamento de mudança persistente, intensivo e sensível, sem os quais os resultados são voláteis ou mesmo ilusórios
  4. Produção Puxada: Este princípio significa uma inversão nos processos habituais, que produzem para estoque segundo previsões de consumo. Este capítulo exige uma Gestão da Demanda muito sofisticada e integrada com o mercado, de modo a só produzir a demanda efetiva do mercado. Não se consegue 100% de efetividade neste esforço, mas a eficácia da implantação é diretamente ligada a este índice. Quanto mais produção para estoque, por previsões, menos válida será implementação de Lean.
  5. Perfeição: Perfeição significa Melhoria Contínua, a busca da Perfeição. É evidente que a Perfeição nunca é atingida, mas a mentalidade Lean implica em persistência em sua busca. Esta mentalidade precisa estar uniformemente presente em toda a Cadeia: qualquer ponto em que ela seja fraca, determina a fraqueza de toda a Cadeia. Isso significa que a implantação nunca termina, e que é necessária uma gestão de Operações permanente, que demande a manutenção da mentalidade Lean. É fundamental também que cada elemento da Cadeia conheça o processo como um todo, para ter consciência da influência de suas ações no todo.

 

Requisitos: Principais ferramentas de auxílio ao Lean

  1. Gerais
  • 5S (Organização do Espaço)
  • Gerenciamento Visual (Visual Management)
  • Manuseio Multiequipamentos
  • Desdobramento da Política
  • Kaizen
  • Manutenção Produtiva Total (Total Productive Maintence)
  • Mapa do Fluxo de Valor (Value Stream Map)
  • Kanbam
  • Tackt Time
  • Balanceamento de Linha
  • Mapeamento do Processo
  1. Fluxo Completo
  • Mapa do Fluxo de Valor (Value Stream Map)
  • Kanbam
  • Tackt Time
  • Balanceamento de Linha
  • Mapeamento do Processo
  1. Operações Específicas
  • Operações padronizadas
  • Atividades Amostrais
  • Análise de Tempo de Ciclo
  • SMED
  • Poka  Yoke

Finalidade:
Lean é uma eficiente ferramenta de auxilio, utilizada pelo gestor de processos, para promoção da melhoria contínua dos processos.

 

Cordialmente,

Pedro Osorio Souza Mello   ./

Fique à vontade para me contatar:    pepontomello@gmail.com                                                  Abril – 2015

 

 

 

Anúncios