11 Simulação de Processos

Simulação é a técnica que permite trazer a realidade de processos de Negócio para dentro do computador, através da criação de um modelo dinâmico (representação gráfica) que espelhe fielmente seu comportamento (atual e também o futuro). Permite simular a realidade futura de um processo, quando se planeja fazer mudanças / melhorias no mesmo.

Compreende uma fase inicial chamada de Calibração, que é o exercício de representar e assegurar que o processo esteja representando a realidade atual e, em seguida vai se mudando alguns elementos do processo, para representar a realidade planejada. Os resultados desses novos cenários vão sendo estudados pelo gestor e servem de subsidio valioso à sua decisão. 

Algumas informações necessárias:

Carga de trabalho – em diferentes períodos analisados, o processo pode receber cargas de trabalho que variam, influenciando o número de vezes que o mesmo é acionado / iniciado. P. Ex.: No mesmo dia o processo pode ter diferentes cargas de trabalho em diferentes horários.

Tempo de execução – tempo gasto pelo executor, cada vez que a atividade é executada. Esta informação tem que ser provida para todas as atividades do processo.

Recursos – Quantidade de recursos capazes de realizar determinada atividade e que estejam à disposição para tal.

Probabilidade – Nos casos onde o processo tem caminhos alternativos, qual a probabilidade (%) do mesmo seguir cada opção de caminho.

Uma dificuldade normalmente observada e que impede a realização de uma simulação consistente é a falta ou insuficiência dessas informações.

Alguns resultados possíveis com a simulação:

  • Caminho(s) percorrido(s) pelo processo
  • Tempo de ciclo dos processos
  • Ìndice de utilização dos recursos tecnologicos
  • Ìndice de utilização dos recursos Humanos
  • Filas nas atividades  – Gargalos
  • Custo do Cenário Atual
  • Custo do Cenário Futuro

Aplicações para Simulação de Processos

  • Insegurança quanto ao volume de recursos necessários em determinado cenário futuro do processo
  • Definição previa dos recursos necessários para a situação futura do processo
  • Identificação de pontos de gargalo no cenário futuro, que podem limitar a produtividade

Cordialmente,

Pedro Osorio Souza Mello   ./

Fique à vontade para me contatar:    pepontomello@gmail.com                                                Abril – 2015

Curso Gestão de Processos

Anúncios